quinta-feira, 31 de julho de 2014

Imagens da Vida



Às vezes, perguntas entristecido:
 
 - Valerá a pena ser Bom nos caminhos da vida?

E, num átimo, inventarias ingratidões, decepções, calúnias...

Aquele a quem estendeste a mão ontem, é o mesmo a vilipendiar-te hoje...

Aquele a quem mataste a fome outrora, é o mesmo a escarnecer dos teus ideais agora...

Aquele que socorreste no lance difícil das próprias experiências, é a voz que se ergue para censurá-lo publicamente...

Aquele em quem confiaste cegamente, é o mesmo que, em te ludibriando, armou-te delicada situação...

Prossegue, contudo, obedecendo à voz da consciência.

Todos os que se dispõem a servir no mundo, inevitavelmente colherão dissabores...

Não tem sido assim com os paladinos da beneficência de todos os tempos?

Não esmoreças.

Em verdade, quando fazes o Bem aos outros estarás fazendo-o a ti mesmo.

Pelos espinhos, não deixes de investir na própria felicidade.

A justiça pertence a Deus.

O tempo falará por ti.
***********************
Irmão José 
 



 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Mensagens do Além



“Mensagens do Além? Para quem são?”

Esta é a pergunta que você nos faz com a tranquilidade dos que ignoram o sofrimento humano.

E respondemos que semelhantes comunicados transitam hoje em todos os distritos do mundo, com endereço exato e no momento certo.

Não sei se você conhece as mães atormentadas pela saudade dos filhos que a morte lhes arrebatou ao carinho, notadamente quando apenas começavam a viver;
 
 se já viu os pais amorosos tateando as cruzes que marcam as derradeiras lembranças dos rebentos queridos que viajaram para o Mais Além, através das fronteiras de cinza; 
 
pensou-se, algum dia, no pranto das viúvas, relegadas à solidão, ante a partida compulsória dos companheiros transferidos para outros domínios da existência; 
 
se alguma vez refletiu na dor dos homens que apertaram as mãos desfalecentes de esposas inesquecíveis que eles, em vão, quiseram arrancar ao poder do silêncio que lhes cerrou os olhos para o mundo;
 
 se, em algum tempo, meditou, angústia dos jovens que inutilmente procuram algum traço dos entes que amavam, muitas vezes alimentando o desespero que lhes abre caminho para o suicídio;
 
 ou se já terá visto, em algum lugar, os portadores de enfermidades consideradas irreversíveis, que atravessam os dias, entre a inquietação; 
 
e o desalento...

Se você tomou conhecimento de todos esses heróis das lágrimas, defrontados quase sempre, por sofrimentos e humilhações, então você já consegue saber para quem são as mensagens de quantos residem no Mais Além, e, decerto, nada mais precisará perguntar.
*************************
Augusto Cezar  
Chico Xavier
 
 






terça-feira, 29 de julho de 2014

Tempos de Ignorância




".... Muito se pedirá àquele a quem se tiver muito dado, e se fará prestar maiores contas àqueles a quem se tiver confiado mais coisas.”
“... Somos nós, pois, também cegos? Jesus lhes respondeu: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas agora dizeis que vedes e é por isso que vosso pecado permanece em vós.”
(Capítulo 18, itens 10 e 11 - “O Evangelho Segundo o Espiritismo”)


Lucas relata em Atos dos Apóstolos a seguinte orientação de Paulo de Tarso: “Deus não leva em conta os tempos da ignorância”(1). Em outras oportunidades, confirmou também que “muito se pedirá àquele que muito recebeu”(2), quer dizer, o agravamento das faltas é proporcional ao conhecimento que se possui.

Compreendemos, dessa forma, que somos todos nós protegidos pela nossa “ignorância”, pois somente seremos avaliados pela Divina Providência, de conformidade com as possibilidades do “saber” e “sentir”, isto é, segundo a nossa maneira de ver a nós próprios e o mundo que nos rodeia.

As leis espirituais que dirigem a vida são sábias e justas e adaptam-se particularmente a cada criatura, levando em conta suas individualidades.

O eminente psicólogo e pedagogo suíço Jean Piaget, responsável pela teoria de que o desenvolvimento das crianças propicia seu aprendizado, dizia que elas são diferentes entre si, que cada uma tem seu jeito de crescer e de se realizar como indivíduo, e que todos poderíamos ajudá-las nesse crescimento, porém nunca impondo formas generalizadas e semelhantes.

Piaget ensinava que cada criança pensa e interpreta o mundo com seu peculiar pensamento e com suas possibilidades orgânicas e mentais, quase sempre heterogêneas.

Encontramos no mundo atual modernos métodos pedagógicos que seguem esse raciocínio, levando em conta que cada indivíduo, para assimilar sua realidade de vida, é portador de um processo psicológico de aprendizagem próprio. Cada um percebe de forma dissemelhante os estímulos da Vida, decodifica-os e em seguida os reelabora, formando assim sua própria individualidade.

Por outro lado, encontramos também na reencarnação a guarida desses métodos de ensino, pois ela se baseia na multiplicidade de experiências ocorridas nos diversos avatares por onde a alma percorre seus caminhos vivenciais, como um ser individual.

As diversidades do nosso tempo de criação, nossas heranças reencarnatórias, experiências emocionais e mentais, ambientes sociais onde ocorrem essas mesmas experiências, estruturas sexuais, masculinas ou femininas, e motivações várias desenvolvidas na atualidade particularizam os seres humanos com vocações, tendências, interesses, grau de raciocínio e discernimento “sui generis”.

Relativos e não generalizados devem ser os modos de ver as coisas e as pessoas. O próprio direito penal classifica e pune os crimes dentro dos padrões do “intencional” ou “doloso”, “passional” ou “ocasional”. Por que o Poder Inteligente que nos rege iria julgar-nos sem levar em conta nosso “tempo da ignorância” e nossa relatividade?

Como educar ou avaliar genericamente, usando o mesmo critério, crianças que receberam uma educação cheia de energia e vida, ensinadas a questionar e criar; a ter curiosidade e admiração pela natureza; e outras que só vivenciaram discussões, agressões e comportamentos medíocres por entre odores de bebidas alcoólicas e nicotina, sem uma visão saudável de Deus; ao contrário, temerosa, distorcida, adquirida através da crença de um ser ameaçador e temperamental?

O Amor de Deus programou-nos simples inicialmente para permitir que nos desenvolvêssemos, de forma gradativa, até atingir maiores plenitudes e totalidades.

Temos, pois, que seguir essa programação da Natureza, ou seja, caminhar dentro desse projeto estabelecido pelas leis universais para atingirmos a nossa integração como seres espirituais.

Esse processo evolucional nos mostra que podemos estar um pouco atrás, ou adiante, das criaturas, embora cada uma delas tenha suas características próprias e certas de acordo com sua idade astral. Nesse decurso evolutivo, todos nós passamos por fases de egoísmo e orgulho até atingirmos mais tarde as grandes virtudes da alma.

Consideremos, portanto, que não seremos censurados por estar nessas fases “primitivas”, porque o que chamamos de “defeito” ou “inferioridade” seja, talvez, a passagem por esses ciclos iniciantes onde estagiamos. Lembremos que essas “fases” ou “ciclos” não foram criados por nós, mas pelos desígnios de Deus, que regem a Natureza como um todo.

Coisas inadequadas que vemos em outras pessoas podem ser naturais nelas, ou mesmo do “tempo da sua ignorância”, e representam características próprias de sua etapa evolucional na estrada por onde todos transitamos, alguns mais avançados e outros na retaguarda.

A vida moderna nos deu raciocínio e reflexão, maturação intelectual e um desenrolar de novas descobertas, ensinando-nos formulações racionais surpreendentes para que melhor pudéssemos compreender os métodos de evolução e progresso em nós mesmos e no Universo.

Não somos responsáveis por aquilo que não sabemos, não sofreremos um castigo por atos ou atitudes que ignoramos. Talvez essas ideias de punição, alienatórias, sejam os frutos da incapacidade de nossa reflexão sobre a Bondade Divina.

O que chamamos de “sofrimento” é simplesmente “resultado” de nossa falta de habilidade para desenvolver as coisas corretamente, pois na vida não existem “prêmios” nem “castigos”, somente as consequências dos nossos atos.

Vale, porém, considerar que, à medida que nossa consciência se expande e maior lucidez se faz em nossa mente, maiores serão nossos compromissos perante a existência. “Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas agora dizeis que vedes e é por isso que vosso pecado permanece em vós” (3).

Podemos pretextar ignorância, mas se tivermos consciência de nossos feitos isso sempre será levado em conta.

Avaliemos atentamente: os tesouros da alma que já integramos nos obrigarão a prestar maiores ou menores contas perante a Vida Maior.
************************
(1) Atos 17:30.
(2) Lucas 12:48.
(3) João 9:41
Hammed
 
 
 


 

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Deus te Defenderá



Alguém te feriu o coração?
Perdoe e esquece.

Alguém te magoou?
Perdoa e caminha.

Alguém te caluniou?
Perdoa e silencia.

Alguém te vilipendiou?
Perdoa e persevera.

Alguém te enganou?
Perdoa e confia.

Alguém te ofendeu?
Perdoa e ama.

Perdoa sempre a tudo e a todos.
*
Segue fiel ao bem, porque a Justiça vem do Mais Alto e, no instante oportuno, serás devidamente justiçado sem que tenhas necessidade de recorrer à violência ou ao desespero.
*
Deus, que tudo vê, não te esquece e te preservará a honra e o nome, a alegria e a paz, acima de quaisquer circunstâncias ou interesse.
******************
Irmão José







domingo, 27 de julho de 2014

Tempo de Colher


Toda semente pede tempo para germinar.

Assim também acontece nos domínios da alma.

Nunca devemos desistir de semear o bem, porque os resultados não se façam imediatos aos nossos olhos.

Saibamos esperar com paciência.

No momento justo, as sementes que houvermos lançado no solo dos corações haverão de produzir frutos sazonados.

Semeemos compreensão e alegria, paz e coragem, perdão e amor ...

É da Lei que cada semente produza segundo a sua própria espécie.

Mais cedo ou mais tarde, a vida restituir-nos-á, centuplicadamente, o que houvermos ofertado.

Prossigamos no trabalho pela felicidade daqueles que mais amamos, aceitando-os como são, na certeza de que eles saberão entender e corresponder aos nossos zelos e atitudes, no tempo justo.
******************************************
Irmão José






sábado, 26 de julho de 2014

ASPIRAÇÕES E TRABALHO



Todos nós aspiramos conseguir determinada realização em determinados ideais, mas todos necessitamos complementar qualidades para as aquisições de demandados.
Querias um casamento perfeito e a Divina Providência te concedeu um matrimônio em que te aperfeiçoes.

Considerando que não somos seres angélicos e sim criaturas humanas, recebeste uma esposa ou vice-versa para um encontro feliz, entendendo-se, porém, que esse encontro não exclui o aprendizado da abnegação, através da solidariedade recíproca.
*
Desejavas filhos queridos que te concretizassem os sonhos e a vida te entregou filhos amados que te ofertam os mais altos testemunhos de ternura, entretanto, ei-los que exigem de ti sacrifício e renúncia a fim de que se façam educados e felizes.
*
Sonhavas com certos empreendimentos, em matéria de arte e cultura, indústria e administração e atraíste semelhantes encargos, no entanto, qualquer deles te angaria o êxito com vantagens compensadoras, se te entregares, sinceramente, à disciplina e à responsabilidade.
*
Esperavas amigos, em cujos ombros te apoiasses para viver e esses amigos apareceram, porém, a fim de conservá-los, será preciso aceitá-los tais quais são, com o dever de compreendê-los e auxiliá-los tanto quanto aguardas de cada um deles entendimento e cooperação, nas áreas do apoio mútuo.
*
Efetivamente queremos essa ou aquela premiação da vida, mas não nos esqueçamos de que a vida nos pede a retribuição de todos os valores que venhamos a conquistar com o trabalho na edificação do Bem, de vez que também no campo da alma para receber é preciso dar, porquanto, em qualquer setor da existência, daquilo que se planta é que será justo colher.
*****************************
Emmanuel
Chico Xavier 




sexta-feira, 25 de julho de 2014

ANOTAÇÕES DE PAZ


Ninguém adquire paz sem aceitar a luta incessante pela segurança do Bem.

Felicidade é o outro nome da consciência tranquila.

Trabalho é capital que não se desvaloriza.

Muito difícil amparar a multidão, quando não se aprende a ser útil na própria casa.

Estudo é aquisição de responsabilidade.

Quem não perdoa carrega peso desnecessário.
 
Azedume é o caminho para a solidão

Observar tudo que se vê, assinalar os erros e corrigi-los, em cada um de nós, por nossa própria conta.

Admitir que é muito difícil lidar com os outros mas cultivar a obrigação de auxiliar aos outros, quanto nos seja possível, sem nunca afastar-nos dos outros e reconhecer que sem os outros nenhum de nós seguirá para frente. 
***********************
André Luiz  
Chico Xavier





quinta-feira, 24 de julho de 2014

INSTANTE DOURADO

  

Quando a situação se te revele difícil e as forças te pareçam exaustas...
Quando a enfermidade se te instale nas energias, semelhante a uma sombra que não consegues extinguir...
Quando o desânimo te procure, sugerindo-te a desistência dos encargos que abraçaste...
Quando as difIculdades se multipliquem criando-te embaraços e lutas...
Quando as complicações surjam tamanhas que o abandono dos próprios encargos, se te afigure como sendo o caminho a seguir...
Então, haverás atingido o instante dourado para o testemunho de tua própria fé, porque servindo e agindo, em meio a cansaço e tribulação, podes guardar a certeza de que, pelas ocorrências do trabalho, Deus chegará em teu auxílio com o socorro imprevisto e com a inesperada Luz.
  ********************
Meimei
Chico Xavier




 

quarta-feira, 23 de julho de 2014

TOQUE DE AMOR



Deixa que a fé em Deus te ilumine a visão para que te reconheças no lugar de servir.

Indubitavelmente, perceberás a série dos desafios que te rodeiam:
 o lar talvez difícil, 
entes amados na desvinculação violenta, 
incompreensões à mostra, 
ocorrências que se vestem de lágrimas. . .

Entretanto, não te convertas em tuba da aflição.

Tumulto adia em nós a conexão necessária com a Providência Divina.

Ama e auxilia sem te alterar.

A rosa acabará florescendo no espinheiral.

As estrelas surgirão varando as trevas.

Deus está agindo.

Na construção da felicidade, onde a provação apareça não te lamentes nem reclames.

Dá o teu toque de amor e Deus fará o resto.
**************************
Meimei
Chico Xavier
 



 

terça-feira, 22 de julho de 2014

NOTA DA CORAGEM




... Coragem não é revidar nem cair na exibição de poder.


A coragem verdadeira ergue-se da compreensão e da bênção, quando o desequilíbrio tente assaltar-te...

Não te afastes da paciência quando as dificuldades se agravem.

Ainda que provações inesperadas te espanquem o coração, conserva a serenidade e segue adiante, agindo e servindo.

Pensa nos que perderam a fé e tropeçaram na violência; medita nos que tombaram em desespero e resvalaram na loucura.

O verbo que te vergasta pode ser a enfermidade em forma de insulto e a mão que te golpeia estará provavelmente sob o impulso das trevas.

Coragem não é revidar, nem cair na exibição de poder. A coragem verdadeira ergue-se da compreensão e da bênção, quando o desequilíbrio tente assaltar-te.

Em qualquer circunstância, escora-te no esforço de resguardar o Bem.

Quando estiveres a ponto de pronunciar qualquer frase irrefletida ou de empreender a mínima ação contra os outros, ora e silencia, porque o Céu te ouve e Deus te sustentará.
**********************
Meimei 
Chico Xavier